Contacte-me
Email: Este endereço de email está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email Telemóvel: +351 915 244 747
Livros & eBooks
"Era uma Vez um Hambúrguer"
Receitas saudáveis, destinadas a criar momentos de magia entre as mães e os filhos.
Ler Entrevista
"Pela sua Saúde!"
Um guia com alimentos crus para rejuvenescer e emagrecer. Reflexões e sugestões.
Ler Entrevista
"Ho'oponopono"
O que é o "Ho'oponopono"? Aprenda este mantra e os seus principios através deste eBook.
Fazer Download
"Limite Zero"
Como purificar pensamentos e ações negativas, deixando a mente livre para que a Lei da Atração possa conspirar a favor do ser humano.
Fazer Download
Comer é humano, digerir é divino
Escrito por Isabel Costa   
01 / 01 / 2007
Image
Aqueles que comem para viver normalmente não apreciam profundamente o paladar, a maior parte das vezes comem à pressa, de pé...

Sem dúvida alguma que todos os seres humanos necessitam de se alimentar para sobreviver (assim como todos os seres vivos).

Existem pessoas que apenas comem para viver e outras no lado extremo que vivem para comer.

Na realidade, tanto uma atitude como outra revelam infelicidade e mau estar perante a vida. Aqueles que comem para viver normalmente não apreciam profundamente o paladar, a maior parte das vezes comem à pressa, de pé, o que é habitual sem ter que pensar muito. Durante a refeição têm 1001 coisas na mente, vêm televisão ou aproveitam para discutir assuntos que por vezes terminam em discussões familiares.

Os que vivem para comer por outro lado, têm poucos objectivos e alegria na vida e procuram uma sensação de prazer e bem-estar que a comida transmite temporariamente sobretudo através de alimentos muito calóricos, como é o caso dos fritos, das gorduras e dos doces.

Contudo o problema reside na fraca auto estima e esse problema nenhum alimento vai curar, mas sim aumentar o ciclo vicioso e consequentemente engordar.

Comer é um acto sagrado de comunhão do alimento com o nosso corpo, a união de uma forma de energia com outra resultando na transformação desses alimentos no nosso corpo.

Os animais alimentam-se apenas de acordo com a fome e dos alimentos que a Natureza lhes dá no seu estado natural, sejam carnívoros ou herbívoros.

Nós transformámos os alimentos de modo a que se tornem mais saborosos, apetecíveis e digeríveis.

Cozinhar é um verdadeiro processo de alquimia com o fogo e tudo tem que ser na medida certa. Na minha opinião neste processo o carinho e respeito por todos os alimentos que dispomos é fundamental e esses ingredientes devem ser o tempero principal da refeição.

Comer é humano, digerir é divino! Quanta sabedoria nesta frase de Mark Twain. O sentimento de agradecimento interior mesmo que não seja manifestado verbalmente é importante para o nosso corpo e também para a alma. Agradecimento pela pessoa que cozinhou a refeição, pelos alimentos que se encontram no prato. Mesmo que seja uma simples sopa quando comida com uma atitude de gratidão torna-se um manjar divinal.

Infelizmente há muitas pessoas a morrerem de fome pelo mundo fora quando existe tanto excedente deitado ao lixo.

Digerir é divino! Momento sagrado para deixar de lado por uns instantes os pensamentos negativos do dia e saborear o alimento precioso que nos nutre, transforma e dá vida.

Image
De nada serve falar sobre as propriedades calmantes da alface, por exemplo se as pessoas vão discutir na hora da refeição.

Se nos permitirmos “sentir a comida” também melhorámos a digestão e assimilação desses alimentos. De nada serve falar sobre as propriedades calmantes da alface, por exemplo se as pessoas vão discutir na hora da refeição. Comecemos então pelo básico, mas que é o mais importante e também o mais difícil: a mudança das nossas atitudes.

Muitas vezes queremos mudar o mundo, mas não nos conseguimos mudar a nós mesmos e sem a mudança individual a sociedade não muda.

Por isso podemos começar por mudar a nossa atitude à mesa e se achámos que não muda a sociedade, pelo menos melhora a nossa digestão e a saúde é a grande beneficiária.

Sejamos então divinos a digerir a comida!

 
< Artigo anterior