Contacte-me
Email: Este endereço de email está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email Telemóvel: +351 915 244 747
Livros & eBooks
"Era uma Vez um Hambúrguer"
Receitas saudáveis, destinadas a criar momentos de magia entre as mães e os filhos.
Ler Entrevista
"Pela sua Saúde!"
Um guia com alimentos crus para rejuvenescer e emagrecer. Reflexões e sugestões.
Ler Entrevista
"Ho'oponopono"
O que é o "Ho'oponopono"? Aprenda este mantra e os seus principios através deste eBook.
Fazer Download
"Limite Zero"
Como purificar pensamentos e ações negativas, deixando a mente livre para que a Lei da Atração possa conspirar a favor do ser humano.
Fazer Download
Não aceitem a mediocridade - ZEN Janeiro 2011
05 / 01 / 2011

Image Começa um novo ano. Na conjuntura que atravessámos a maioria das pessoas começa este ano com medo, tristeza, falta de esperança no futuro. É verdade que as circunstâncias que vivemos não são fáceis e não é apenas em Portugal, mas em todo o mundo.

As crises exigem uma refexão interior. É a nossa escolha fazê-la e ver o que podemos melhorar em nós ou continuar a apontar o dedo aos outros. De facto, se olharmos bem para a nossa mão, quando apontamos um dedo a alguém, temos três dedos apontados para nós, ou seja, a maioria. O mundo, o governo e a sociedade são o refexo de cada um de nós nos seus aspectos positi- vos e negativos. Se queremos políticos excelentes, sejamos cidadãos excelentes.

Ter atitudes medíocres

Cada povo tem um tipo de carácter. Nós temos a cultura do ‘vamos andando’. Frases como: «Estamos mais ou menos»; «Podia estar melhor se estivesse de férias e não a trabalhar»; «O trabalho não é para fazer, é para se fazer lentamente»; «Temos que ser espertos e olhar por nós, porque ninguém olha»; «Uma mentira não faz mal, desde que não prejudique ninguém»; «Não te esforces, porque ninguém te vai valorizar»; etc., são constantemente proferidas. Desculpem, mas a verbalizar estas frases permanentemente o que podemos esperar? Será que uma pessoa que se queixa diariamente do seu trabalho, que faz o mínimo possível, pode esperar um aumento de ordenado, evoluir no seu posto de trabalho e ser louvado no seu empenho profssional? Não me parece, mas esta atitude acontece em grande escala. Temos atitudes medíocres, mas queremos ser tratados com excelência.

Semear excelência

Nós todos ouvimos que «colhemos o que semeamos» e, por isso, «se semearmos ventos, colhemos tempestades», então vamos semear excelência em tudo o que fazemos. Vamos empenhar-nos todos juntos na construção de uma sociedade melhor e um mundo melhor do qual fazemos parte e não nos podemos esquivar da nossa parte de responsabilidade. Não temos o direito de deitar lixo para a rua e reclamar da sujeira! Eu acredito que todos os seres humanos, sem excepção, têm capacidade para a excelência e não apenas uma minoria. O problema é que a maioria opta pela mediocridade e isto não tem a ver com graus académicos! No meu aniversário, fiz uma pequena festa em casa e estava com dificuldade em preparar tudo. Duas irmãs, minhas amigas, surpreenderam-me com a disponibilidade da sua empregada doméstica e a oferta do tempo de trabalho da mesma. Esta senhora em quatro horas deixou a minha casa a brilhar de um modo que nem eu teria feito um trabalho tão fantástico. Foi uma situação pontual e ela não tinha nada a provar, mas trabalhou com todo o seu empenho e excelência e proporcionou-me tempo para organizar o resto da festa de um modo mais tranquilo e tudo correu bem sem stress. Todos os trabalhos são válidos e necessários e, quando todos se empenham com excelência, o resultado é maravilhoso e essa energia positiva propaga-se.

Acreditamos demasiadas vezes nas más notícias e não damos importância às boas e os meios de comunicação são exemplo disso, contribuindo, ainda, para aumentar a tristeza e insegurança que as pessoas sentem. É época de crise! É o momento de acreditarmos em nós!

Foque-se nas suas capacidades

Há pouco tempo recebi um e-mail interessante que contava a história de alguns sapos que começaram a escalar um poste. Todos os que estavam em baixo gritavam: «Não vais conseguir, vais cair!» e, aos poucos, foram caindo um a um, mas… houve um que chegou ao topo. Qual foi o segredo dele? A perseverança? A coragem? Não. Simplesmente, ERA SURDO!

Também nós precisamos de nos ensurdecer ao desânimo, ao insucesso, de acreditar que o que quer que possamos tentar fazer, pelo menos, temos o não como garantido. Porque há-de ser o não e o sim como garantido? É hora de nos focarmos nas nossas capacidades interiores de excelência e vermos também o que de bom acontece à nossa volta. Podemos achar que é ‘irreal’ ter uma atitude positiva, mas porque é que não é ‘irreal’ ter uma atitude negativa? O copo com água pela metade pode ser visto como meio vazio ou meio cheio. É uma escolha como ver a vida.

A vida tem muitas coisas maravilhosas para nos oferecer. Contemplem o arco-íris, as fores, as montanhas, o mar. Apaixonem-se pela vida, apaixonem-se pelo ser maravilhoso que cada um de vós é e deixem fuir a excelência em tudo o que fazem. Não vale a pena pensar que em 2011 vai tudo piorar. Nós só vivemos um dia de cada vez e nem sequer sabemos se temos não apenas o dia seguinte, mas o minuto seguinte. Por isso, vivamos o melhor que a vida tem para nos dar e façamos todos juntos cada dia uma celebração à vida. Desejo a cada um que a vossa Divindade Interior se expresse cada vez mais e que o Sol brilhe sempre na vossa vida, iluminando a vossa jornada terrena. Um excelente 2011 para todos. Namasté.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >