Contacte-me
Email: Este endereço de email está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email Telemóvel: +351 915 244 747
Livros & eBooks
"Era uma Vez um Hambúrguer"
Receitas saudáveis, destinadas a criar momentos de magia entre as mães e os filhos.
Ler Entrevista
"Pela sua Saúde!"
Um guia com alimentos crus para rejuvenescer e emagrecer. Reflexões e sugestões.
Ler Entrevista
"Ho'oponopono"
O que é o "Ho'oponopono"? Aprenda este mantra e os seus principios através deste eBook.
Fazer Download
"Limite Zero"
Como purificar pensamentos e ações negativas, deixando a mente livre para que a Lei da Atração possa conspirar a favor do ser humano.
Fazer Download
O mito do leite de vaca: Parte 2
10 / 04 / 2008
Image

Diferenças entre o leite materno e o leite da vaca para o bebé

Em primeiro lugar é óbvio que o leite segregado pela fêmea de uma espécie é o adequado á mesma com todos os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. O leite de vaca é adequado ao seu bezerro e o leite da mulher ao seu bebé.

O leite da vaca satisfaz as necessidades de um bezerro que nasce com mais ou menos 30 kgs e que vai ficar adulto em 3 anos, a criança nasce com uma média de 3 kgs e tornar-se-á adulto em 20 anos. Basta olhar com naturalidade para este facto para percebermos que dar leite de vaca a um bebé não é adequado á sua frágil estrutura.

Além disso o leite materno também contêm substâncias que permitem o cérebro da criança desenvolver-se mais harmoniosamente.

Muitas vezes o bebé manifesta intolerância a algumas proteinas do leite de vaca, especialmente a beta-lactoglobulina e a albumina que juntas são responsáveis pelos microsangramentos intestinais dos bebés com menos de 6 meses.

O ferro também é melhor absorvido através do leite da mãe e por isso algumas crianças que sejam alimentadas desde cedo com leite de vaca manifestam anemia.

A lactose do leite humano contribui para a acidez das fezes do bebé, protegendo-o do desenvolvimento da Escherichia Coli e de gastroenterites. O leite de vaca não tem essa propriedade.

O factor bifidus do leite de vaca é 40 vezes menos activo do que o leite materno.

Em geral, os minerais do leite materno são 4 vezes superiores aos do leite de vaca e melhor absorvidos. O leite de vaca contêm 3 vezes mais cálcio e 8 vezes mais fósforo do que o leite materno (temos que nos lembrar que os seus componentes são adequados a um bezerro de pelo menos 30 kgs), mas a "pobreza" de cálcio do leite materno não apresenta nenhum inconveniente pois as necessidades do bebé são completamente satisfeitas, enquanto que o elevado teor de fósforo do leite de vaca diminui a absorção de cálcio na criança.

Quanto ás vitaminas, o leite materno proporciona à criança as vitaminas C e D indispensáveis para o seu crescimento.

O aleitamento materno tem um papel fundamental na prevenção do cancro, tanto para a mãe que amamenta como para a criança futuramente, assim como diminui drásticamente a intolerância ao leite e derivados na criança amamentada.

O leite materno contêm todas as substâncias fundamentais e muda de composição em função da duração da amamentação. O ideal é que seja no minimo 6 meses.

O leite materno tem propriedades que não são encontradas de modo algum no leite de vaca:

  • efeito antibactericida (protege contra as enterobactérias, previne gastroenterites e diminui riscos de infecções)
  • efeito antiviral (raramente têm otites - graças aos anti-corpos do leite materno)
  • estão mais protegidos do sindrome de "morte súbita" do lactente
  • propriedades anti-alérgicas (raramente se emcontram casos de eczemas, asma, febre dos fenos)

(dados do Dr. Raphael Nogier - médico e consultor da OMS - extraidos do livro "O leite que ameaça as mulheres" )

Em breve, a terceira parte. Leia a primeira parte.
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >